quinta-feira, 4 de março de 2010

Além das redes sociais

Eu tava aqui pensando quantos perfis em redes sociais eu tenho por aí.

Twitter (dois, o meu e o do morri)
Orkut (dois, um que eu uso e o outro que eu tentei fazer uma vez que pensei em deletar a conta, mas fiquei com medo de me arrepender, então fiz um Orkut novo porque né? vai que eu volto atrás? e deixei na verdade os dois pela metade.)
Blogs (já comecei vários, mas só levei a sério o emagreça e o morri. agora talvez eu consiga não desistir deste aqui também)
Facebook (não faço questão que as pessoas me adicionem lá, porque eu só uso aquela ferramenta de comunicação pra fazer amigos indianos level 980 no mafia wars)
Sonico (sei lá se eu tenho, mas sempre recebo convite pra essa merda)
Myspace (já deletei, achei aquilo lá muito chato, sou old school, prefiro o orkut velho. tenho 10 convites do orkut novo, por 50 reais eu mando eles pra você)
fotolog (aaaaaahh meo, fotolog é tãããão 2007) e uma pá de contas de e-mail que eu nem uso.
Tumblr (pena que não sei nem pronunciar isso né)

E assim, de fato, eu só tenho usado os blogs e o twitter. Orkut só serve pra dar ataque de ciúmes e pra ser stalkeada pelos outros.

Daí eu penso: PRA QUE TANTO LOGIN E SENHA?

Na época da minha mãe elas tinham um "pequeno diário" e pronto. Elas não tinham um "pequeno micro diário para mensagens curtas" "pequeno diário que está mais na moda agora" "pequeno diário para colocar fotos fazendo biquinho no espelho do banheiro da balada" "pequeno diário para parecer mais popular quando a sua vida social tá cagada" "pequeno diário para encontrar amigos que você nunca viu na vida".

Mas olha, te falar que eu não entro em paranóia com isso. Tenho uma vida muito boa, gosto muito dos meus amigos reais e gosto muito dos meus amigos virtuais.
E se eu bem me lembro, eu tinha um diário quando eu tinha uns 12 anos que eu escrevi todinho com uns códigos que eu inventei, ex: # = a solzinho = b estrelinha = c
e sabe o que aconteceu? eu perdi o papel com os códigos (pq eu era neutótica com essas invasões de privacidade desde criancinha) e nunca mais soube o que tava escrito naquele diário.
Um belo dia, daqui 2.000 anos, vão encontrar aquilo e eu vou parar num museu arqueológico, tá?


2 comentários:

Camila Harpias disse...

engraçado que eu tenho isso tudo mas nunca tive saco pra diario. Contar minha vida pra mim mesma nem pensar, mas contar pra bilhoes de pessoas ta joinha

ana_alice disse...

eu comecei um diário na sexta série e mal olhava pra ele, até q, no meio do ano, me apaixonei pelo garoto mais bonito da turma (q obviamente n fazia a mínima q eu existia) e passei a escrever todo dia ahaha 6 meses depois eu me arrependi de ter sofrido por merda e rasguei ele em pedacinhos

aí recomecei outro, todo em códigos (q eu tb perdi, claro) mas n foi mto adiante pq dava uma porra de trabalho e eu n tinha nada emocionante pra escrever (só qd o mesmíssimo garoto falava "oi" pra mim no corredor, esse tipo de coisa ahahah)

depois comecei a falar mais das coisas q eu fazia/sentia e tal, mas só qd acontecia algo marcante, e tento fazer isso até hoje (tenho um blog cheio de coisas não publicadas, pq n quero q ngm leia, mas q é bom colocar pra fora)